Frota nova

A licitação para compra de novos veículos de representação do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) está na etapa de finalização. Conforme o edital, o processo é feito na modalidade de pregão eletrônico para o registro de preços para a aquisição de 27 veículos oficiais, tipo sedan executivo, para atender ao TJAM, conforme especificações e condições definidas no Termo de Referência. A frota será substituída gradativamente.

Veja mais

A aposentadoria de Celso de Mello

O ministro Celso de Mello está começando a sair do Supremo Tribunal Federal (STF), onde é juiz há quase 28 anos. É o mais antigo dos 11 ministros – o decano, como se diz. “Pode ser que este seja o meu último ano aqui”, disse ele ao jornal O Estado de S.Paulo, em seu gabinete, na noite já avançada da terça-feira passada.

Veja mais

Morte no rio Guaíba

O corpo encontrado submerso no rio Guaíba, em Porto Alegre, foi identificado pelo Corpo de Bombeiros como do advogado Sebastião Maurique, 67 anos, associado do Clube dos Jangadeiros, na capital gaúcha. Ele era irmão do ex-presidente da Associação dos Juízes Federais (Ajufe) e atualmente desembargador do Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região, Jorge Maurique.

Veja mais

Morre o cantor Belchior

O cantor e compositor cearense Belchior, de 70 anos, morreu na noite de sábado (29) em Santa Cruz do Sul (RS). A família não divulgou a causa da morte. O corpo deve ser trazido para o Ceará, onde ocorrerá o sepultamento na cidade de Sobral, onde o artista nasceu, segundo a Secretaria de Cultura do Estado. Em dezembro de 2008 ele esteve na sede da OAB Nacional onde foi recebido pelo então presidente, Cezar Britto:

Veja mais

Festa do colar

Do presidente do Sindicato dos Advogados do Rio de Janeiro , Alvaro Quintão, sobre a proposta de alguns juízes do Tribunal de Justiça do RJ da retirada do colar do mérito judiciário concedido a Cabral, Pezão e outros envolvidos na Lava Jato: “O Sindicato não apenas apoia como sugere ao TJ acabar com a farra…

Veja mais

O apoio dos ministros

Pelo menos cinco dos 11 ministros do STF gostaram da aprovação do fim do foro privilegiado pelo Senado. Além disso, não encararam como represália dos parlamentares o fato de o projeto extinguir o privilégio também para os magistrados. O texto reserva o foro apenas para os presidentes da República, da Câmara, do Senado e do…

Veja mais

Foro privilegiado

Caso seja confirmada pelo Congresso Nacional, a extinção do foro privilegiado vai transferir do Supremo Tribunal Federal (STF) para outras instâncias da Justiça uma centena de acusações criminais contra mais da metade do Senado. Nunca tantos integrantes da Casa estiverem sob suspeita. Dos 81 senadores, pelo menos 44 respondem a inquéritos (investigações preliminares que podem resultar em processo) ou ações penais (processos que podem terminar em condenação). De acordo com números apresentados pelo relator, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), mais de 38 mil autoridades no país têm foro por prerrogativa de função.

Veja mais

Publicitário no semiaberto

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, autorizou que o publicitário Ramon Hollerbach, condenado a mais de 27 anos de reclusão na Ação Penal 470, vá para o regime semiaberto. A defesa de Hollerbach afirmou que o cliente já preencheu os requisitos previstos na lei de execução penal e alegou que ele não…

Veja mais

Índias grávidas

Um direito garantido pela Constituição Federal de 1988: a proteção aos índios. Mas, a preservação dos costumes indígenas ainda enfrenta alguns obstáculos. A garantia de benefícios previdenciários é um deles. Por isso, no sul do país, a Justiça Federal decidiu: as índias que engravidam antes mesmo dos 16 anos têm direito ao salário maternidade.

Coronéis punidos por improbidade

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) confirmou a condenação de dois coronéis do Exército por improbidade administrativa. Ambos deixaram de registrar a movimentação financeira do Hotel de Trânsito do Exército em Santa Rosa durante sua administração. Os fatos ocorreram entre 2006 e 2010, período em que comandaram o 19º Regimento de Cavalaria Mecanizada. Como pena, os militares terão que pagar multa civil no valor de cinco vezes a sua remuneração na época dos fatos.

Veja mais