O novo pedido de abertura de inquérito contra o presidente da República, Michel Temer, e o ex-deputado Federal Rodrigo Rocha Loures foi distribuído hoje (11) para o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal.

A suspeita é de que Temer e Rocha Loures teriam recebido dinheiro para beneficiar ilegalmente a empresa Rodrimar, que atua no Porto de Santos, com a edição do decreto que mudou a regulamentação do setor portuário em maio.

Dois executivos da empresa também são alvo do pedido de investigação, que foi feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em junho ao ministro Edson Fachin, junto com a primeira denúncia contra Michel Temer.

Como não tem relação com a Lava Jato, o caso foi sorteado para Barroso.