O que muitos tricolores temiam, incluindo a cúpula de futebol e departamento jurídico do Fluminense, aconteceu: o meia Gustavo Scarpa entrou com um processo na 70ª Vara do Trabalho contra o clube, antes do Natal, no dia 22 de dezembro, sexta-feira. A petição inicial, porém, está restrita. Apesar disto, o NETFLU apurou que não há surpresas em seu conteúdo. O atleta pede a rescisão indireta do contrato de trabalho, reivindicando tudo em atraso.

As motivações para Scarpa e seu staff tomarem essa decisão foram porque, segundo seus advogados, o clube devia ao meia quatro meses de direito de imagem, dois meses de parcela do 13º, além do atraso do pagamento das férias de 2016 e 2017, do fundo de garantia, bem como um mês de salário na carteira.