Recordar é viver (e em alguns casos, lamentar ): a juíza aposentada do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro Denise Frossard, que se notabilizou nacionalmente por condenar catorze contraventores e membros do crime organizado em 1993, deixou o Judiciário para para postular cargos públicos eletivos. Nas eleições de 2002, Frossard foi eleita deputada federal pelo PSDB-RJ, com a maior votação para o cargo nas eleições do Rio de Janeiro daquele ano.

Em 2006, já filiada ao PPS, teve lançada sua candidatura à sucessão da governadora Rosinha Matheus. Denise disputou o segundo turno das eleições contra Sérgio Cabral Filho, que venceu com 5.129.064 votos (68% da votação), tendo ela conseguido 32% com 2.413.546 votos. Frossard foi apoiada pela coligação Unir Para Mudar, envolvendo o PPS, PV e PFL.

O voto errado do eleitor do Rio de Janeiro levou o Estado a maior crise política, financeira e moral da história.