Dois ministros de peso do governo Temer fizeram diagnósticos aterradores sobre a segurança pública no Rio de Janeiro e também em todo o país. Diante da crise, o presidente da Comissão Nacional de Direitos Humanos da OAB, Everaldo Patriota, mandou um recado para as autoridades do país.

O primeiro foi Torquato Jardim, ministro da Justiça, em dura entrevista ao blog do jornalista Josias de Sousa. Disse o ministro: O governador fluminense, Luiz Fernando Pezão, e o secretário de Segurança do Estado,Roberto Sá, não controlam a Polícia Militar. Para ele, o comando da PM no Rio decorre de “acerto com deputado estadual e o crime organizado.” Mais: “Comandantes de batalhão são sócios do crime organizado no Rio.” . A declaração foi publicada no dia 21 de outubro do ano passado. Nada foi feito.

Agora, diante de mais uma crise no Estado o ministro da Defesa, Raul Jungmann afirma, com todas as letras, que o sistema de segurança do Brasil está “falido”. Segundo avaliação dele, algumas das razões para isso são a “nacionalização” e a “transnacionalização” do crime.

Diante da crise na segurança pública do país, o presidente da Comissão Nacional de Direitos Humanos da OAB Nacional, Everaldo Patriota faz um alerta que precisa ser ouvido com muita atenção pelo governo brasileiro: “Se nada for feito, como de costume, o que nos espera é uma crise do tamanho de um tsunami que não podemos nem avaliar”.