Concursado do Ministério Público da União (MPU) e em 2015 remanejado para a Procuradoria-Geral da República (PGR), o segurança Roney Sereno está preso na 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá), em Brasília, acusado de se envolver em uma briga com vizinhos e que acabou com duas mortes. Pai e filho foram atingidos com sete tiros. Anderson Ferreira de Aguiar, 49 anos e funcionário da Presidência da República, morreu na hora da briga, enquanto seu filho, Rafael Macedo de Aguiar, de 21 anos, chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros mas morreu ao dar entrada no hospital.

Vizinhos informaram à polícia que os desentendimentos entre os envolvidos se arrastavam desde 2014. Segundo a polícia, tudo começou porque o autor instalou uma lixeira próximo à casa dos vizinhos mortos. Há informações de que Roney também sempre mandava os caminhões com materiais de construção estacionarem em frente à casa das vítimas.

Dentro da residência do acusado, na Estância Quinta da Alvorada, próximo ao Jardim Botânico, foram encontrados um revólver, uma pistola, uma espingarda e mais de 30 mil munições. Ele faz parte de um clube de tiro. Anderson Aguiar era filiado ao Clube de Tiro de Brasília.