Uma série de irregularidades constatadas pelo Tribunal de Contas do DF nas obras do Mané Garrincha levou o órgão a pedir uma tomada de contas especial para apurar prejuízos. Os danos aos cofres públicos podem chegar a mais de R$ 106 milhões.

Entre outras irregularidades, está o acabamento usado no projeto, que é inferior ao que estava programado. Para se ter uma ideia, em uma área do estádio que estava prevista a instalação de granito, foi encontrado cimento queimado.

Barras de ferros salientes e pisos, tetos e paredes desnivelados e com rachaduras também foram encontrados. Nem os cabos de energia escaparam dos desvios: são cerca de 114 mil metros de cabeamentos instalados – menos da metade pago pelo GDF – cerca de 239 mil metros.

Além disso, questões básicas de acessibilidade, como sinalização de sanitários e altura da pia, além da altura incorreta dos corrimãos das escadas de emergência, também foram desrespeitadas.

Vinte e quatro pessoas entre gestores e servidores da Novacap e Terracap no período da execução da obra – além do consórcio Brasília 2014 – são apontados como responsáveis pelos danos.

Por causa das irregularidades apuradas, o TCDF determinou que o valor do suposto prejuízo seja devolvido aos cofres públicos e que a Novacap elabore um plano de ação para corrigir os defeitos no acabamento e os problemas de acessibilidade na arena.

Por nota, tanto a Novacap quanto a Terracap disseram que ainda se posicionaram porque não foram notificadas oficialmente, mas que todos os esclarecimentos serão dados nos prazos estabelecidos.(ABr)