O Fluminense Football Club informou hoje (15) que a diretora jurídica Roberta Fernandes foi advertida após a falha ocorrida no processo movido pelo ex-técnico do clube, Levir Culpi. A diretoria também comunica o desligamento da funcionária Cecilia Almada. O Fluminense agradece pelos serviços prestados e deseja sucesso em sua carreira. A gestão ratifica que novos controles foram criados com o objetivo de minimizar o risco de imprevistos e reafirma o compromisso de profissionalização e transparência.

A passagem de Levir Culpi pelas Laranjeiras ainda rende capítulos. O treinador, atualmente no comando do Santos, cobra na Justiça R$ 2,8 milhões do Fluminense em salários atrasados e demais obrigações trabalhistas que entende ter direito.

Foi o site NetFlu quem revelou a informação, confirmada pelo GloboEsporte.com. Só o salário de Levir no Fluminense era de R$ 630 mil. O valor total da cobrança leva em conta a remuneração de outubro, a porcentagem referente a novembro (foi demitido no dia 6), além de férias, FGTS e indenização.

ma audiência para tratar da cobrança foi realizada na manhã do último dia 6 na 67ª Vara da Justiça do Trabalho do Rio. Porém, o Fluminense não enviou representante. Levir esteve presente, ao lado de Fabio Eustaqui da Cruz, seu advogado. A ausência tricolor, não justificada, é uma concordância dos fatos narrados pelo reclamente. Ou seja: uma confissão de culpa. Tanto que o caso agora está pronto para a sentença da juíza Gabriela Canellas Cavalcanti.