As conselheiras federais da OAB realizaram, durante a sessão do Conselho Pleno, um ato de apoio à Campanha Brasileira do Laço Branco. Trajando vestes brancas, as conselheiras procuraram chamar a atenção para a campanha, cujo objetivo é, atuando em consonância com as ações dos movimentos de mulheres, feministas e de outros movimentos organizados em prol da equidade de gênero e justiça social, sensibilizar, envolver e mobilizar os homens em ações pelo fim de todas as formas de violência contra a mulher. O movimento ganhou imediatamente o irrestrito apoio do presidente da OAB de Sergipe, Henri Clay Andrade. “Todos os homens devem estar unidos em defesa desta causa”.

A presidente da Comissão Nacional da Mulher Advogada, Eduarda Mourão, destacou a importância do ato realizado na instância máxima da Ordem. “Este ato foi importante porque com ele reforçamos a necessária participação da OAB nesta importante campanha internacional do laço branco. Uma campanha que convida os homens a lutar no combate à violência contra a mulher. Uma vez que a OAB abraça esta causa, pode levar para toda a sociedade, em especial aos homens brasileiros, a necessidade de conscientização de que a violência contra a mulher é algo gravíssimo, que compromete o nosso país. Hoje o Brasil encontra-se em quinto lugar no ranking internacional de países em que as mulheres mais morrem em decorrência de violência.

Então isso é importantíssimo para a OAB, em especial aos nossos conselheiros federais e presidentes seccionais, que são representantes da advocacia de seus estados e, portanto, podem levar a esses estados esta mensagem do necessário combate à violência contra a mulher”, disse Eduarda. Durante a sessão, a conselheira federal por Pernambuco, Adriana Coutinho, falou a respeito do ato. “Nós, mulheres dos Conselho Federal, temos muito orgulho de participar deste conselho ao lado de homens que, sabemos, estão sempre atentos às questões relacionadas aos direitos humanos e, sobretudo, à erradicação da violência contra a mulher.