A prática de fraudes em aposentadorias de militares no Rio Grande do Sul é alvo da Operação Reformados, deflagrada hoje (21) no estado, pela Polícia Federal (PF), em conjunto com o Exército, o Ministério Público Militar (MPM) e a Advocacia-Geral da União (AGU). Agentes cumprem três mandados de condução coercitiva e dois de busca e apreensão em Canoas e Novo Hamburgo, na região metropolitana de Porto Alegre.

A investigação mostrou que militares temporários apresentavam atestados médicos falsos, em geral com indicações de doenças psiquiátricas, com o objetivo de obter supostos tratamentos e, posteriormente, para a obtenção da reforma militar. Segundo a PF, algumas pessoas foram encontradas mantendo rotinas normais e exercendo outras atividades remuneradas, o que confirmaria a fraude.

Um escritório de advocacia localizado em Canoas é suspeito de promover as ações judiciais fraudulentas para obtenção da aposentadoria militar. O local foi alvo de buscas hoje de manhã.

O número de pessoas envolvidas na atividade criminosa e o prejuízo causado aos cofres públicos ainda estão sendo investigados pelos órgãos envolvidos na operação. (ABr)