A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, relacionou o fim da impunidade no Brasil à manutenção do início do regime de prisão a partir de decisão judicial de segunda instância. Ela afirmou que vai defender esse entendimento no Supremo Tribunal Federal (STF).

Dodge, que discursou na abertura do 34º Encontro Nacional dos Procuradores da República, ressaltou que eventual mudança do atual entendimento, firmado pelo STF em 2015, poderá causar uma crise de credibilidade institucional.