O decano do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Celso de Mello completa hoje (17) 28 anos de atuação na mais importante Corte de justiça do país. Indicado no governo Sarney – é o último remanescente daquele governo – Celso de Mello poderá, se desejar, ficar no Supremo até novembro de 2020 quando então completará 75 anos e terá que pendurar a toga.

Celso de Mello passará a ser o recordista de permanência no Supremo. Até hoje o ministro (aposentado) José Carlos Moreira Alves detém o recorde. Ele permaneceu no cargo 27 anos e 10 meses. Nomeado pelo então presidente Ernesto Geisel, tomou posse no dia 20 de junho de 1975 e permaneceu no cargo até 19 de abril de 2003, data em que atingiu os 70 anos e foi obrigado a pendurar a toga conforme determinava a Constituição na época.

O terceiro campeão de permanência no STF é o ministro Marco Aurélio Mello. Ele está no cargo há mais de 27 anos. Nomeado pelo então presidente Fernando Collor, tomou posse no dia 13 de junho de 1990. Constitucionalmente, Marco Aurélio pode permanecer na magistratura até o dia 12 de julho de 2021 quando atingirá a idade-limite de 75 anos.