A Associação dos Magistrados de Pernambuco (AMEPE) cobrou na Justiça o recebimento de auxílio-alimentação durante as férias. Também foi solicitado ao Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) que esses pagamentos fossem retroativos. A informação é do JC Online. Primeiramente o TJPE negou o pedido, mas depois que a AMEPE entrou com recurso administrativo, o pedido foi aceito pela maioria dos votos.

O presidente do tribunal, desembargador Leopoldo Raposo, votou contra a concessão do benefício de forma retroativa, em seu voto afirmou que o ato administrativo não poderia retroagir e ainda informou que o custo da medida seria de R$ 7 milhões.