Depoimento do ex-jogador e treinador de voleibol Bebeto de Freitas, emocionado, ao jornal O Globo, sobre a prisão determinada pela justiça do presidente Dodd Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman:

“Estou triste. Trabalhei pra caramba. Não trabalhei pra ele ser preso, não. Trabalhei pra c… pra esse vôlei do Brasil. Essas coisas perduram por culpa nossa. A culpa é daqueles que não tiveram coragem do botar o dedo na ferida e falar. Era mais fácil dizer que eu estava maluco, doido. Culpa de todos nós, do vôlei. Esses anos todos sempre soubemos, sempre tivemos certeza de que coisas erradas aconteciam. Enfim, culpa de todos do esporte no Brasil. Culpa das confederações, federações, de todos. Essas coisas só acontecem quando as pessoas não se revoltam. A gente não tem indignação. Enquanto no Brasil esse sentimento não aflorar, a gente vai viver no país de merda em que a gente vive.”