No dia 13 de agosto de 1969 – portanto, há 50 anos – morria no Rio de Janeiro Jacob Pick Bittencourt, mais conhecido como Jacob do Bandolim, um dos grandes expoentes da música instrumental brasileira. Poucos sabem mas o músico, compositor e bandolinista brasileiro de choro fez carreira como serventuário da justiça no Rio de janeiro, chegando a escrivão de uma das varas criminais da capital.

Filho do capixaba Francisco Gomes Bittencourt e da judia polonesa Raquel Pick, nascida na cidade de Łódź, Jacob nasceu no Rio de Janeiro em 14 de fevereiro de 1918. Morou durante a infância no bairro da Lapa, na rua Joaquim Silva 97, no Rio de Janeiro. Teve um casal de filhos, sendo que um deles, era o jornalista polêmico (O Globo, Última Hora) e compositor Sérgio Bittencourt, que era hemofílico e faleceu com apenas 38 anos em 1979. A sua filha Elena Bittencourt, cirurgiã dentista, que fundou e presidiu o Instituto Jacob do Bandolim, faleceu em 2011, por problemas cardíacos.

Passou sua última tarde, no bairro de Ramos, em visita a seu amigo compositor e maestro Pixinguinha. Ao chegar à varanda da sua casa cansado e esbaforido, sofreu um infarte e caiu nos braços de sua esposa Adília, já sem vida. Jacob está sepultado no cemitério do Caju, no Rio de Janeiro.