A juíza Fláviah Lançoni Costa Pinheiro, da 12ª Vara Cível de Goiânia, determinou que a Celg Distribuição S/A proceda a religação e retorno do fornecimento de energia ao Bar e Restaurante Tucunaré na Chapa. A empresa também deve se abster de incluir o nome do estabelecimento nos Órgãos de Proteção ao Crédito ou para que haja a exclusão caso a requerida já tenha efetivado a inclusão, sob pena de multa diária no valor de R$ 1 mil. Ordenou, também, que seja realizada perícia técnica por terceiro habilitado para verificar se o medidor de energia está funcionando adequadamente.

Representante legal do estabelecimento, Carlos Alberto Vieira narrou que instaurou processo administrativo, informando que foi verificada a existência de um procedimento irregular na medição de energia utilizada pelo restaurante e constatada uma diferença no valor de R$ 15.461,92. Após, em outro procedimento administrativo, apurou-se a diferença de R$ 151.029,53. Disse que apresentou defesas no âmbito administrativo, porém, estas foram indeferidas pela Celg. Aduziu que houve a suspensão do fornecimento de energia elétrica no dia 17 de julho, pelo não pagamento das faturas inerentes aos procedimentos administrativos, tendo sido negada a realização de perícia técnica por terceiros.