Jornalista no eixo Brasília-Rio de Janeiro.

Ministra e madrinha

Nomeada pela presidente afastada Dilma Rousseff para o Tribunal Superior do Trabalho (TST) em 2011, a ministra Delaíde Arantes foi madrinha nesta sexta-feira, no clube da OAB, em Goiás, do milionário casamento do advogado Djalma Rezende, especialista em direito agrário, e considerado um dos mais caros do país. A festa custou a bagatela de R $ 8 milhões da conta bancária do advogado.

Um casamento de R$ 8 milhões

O maior e mais caro casamento do país aconteceu nesta sexta-feira em Goiânia (GO) para mais de mil seletos convidados. Trata-se do casamento do milionário advogado especializado em direito agrário Djalma Rezende, 63 anos, nascido na cidade goiana de Mineiros, com a também colega de profissão, recém-formada em Direito, Priscila Carvalho, de 24 anos. O regime do casamento é de separação total de bens. A festa, que custou a bagatela de R$ 8 milhões, foi realizada no clube da OAB de Goiás e foi protegida por forte esquema de segurança.

Máscaras caídas

Do ex-presidente da OAB Nacional, o advogado sergipano radicado em Brasília, Cezar Britto em sua página no Facebook: “Uma semana corrida. Sustentação no STF, em defesa da Justiça do Trabalho, vítima daqueles que querem reduzir os direitos dos trabalhadores. Palestrando para a advocacia sertaneja, em Juazeiro, conclamando-a a residir e defender o direito de defesa,…

O apoio a Temer

O Presidente da República em exercício, Michel Temer ingressou por concurso público nos quadros da Procuradoria Geral do Estado de São Paulo em 1970, quando foi designado para atuar no setor de mandado de segurança da Procuradoria Administrativa. Exerceu o cargo de Procurador Geral do Estado em dois períodos em 1983 e 1991.

Violência sexual

Na próxima terça-feira, dia 5, acontecerá em Salvador (BA) um ato simbólico para chamar a atenção sobre a importância da manutenção do ‘Serviço de Atenção a Pessoas em Situação de Violência Sexual (Serviço Viver)’, que atende pessoas vítimas de violência sexual. O abraço simbólico vai ocorrer a partir das 10h, na entrada do Instituto Médico Legal (IML), na Avenida Centenário, na Barra. Segundo dados da SSP, foram registrados em 2015, na Bahia, 2.818 casos de estupro, sendo 214 na Região Metropolitana e 531 em Salvador.

Trabalho infantil

Santa Catarina é o terceiro estado com casos de trabalho infantil, atrás apenas do Maranhão e do Piauí e só em 2015, 169 acidentes de trabalho ocorreram com crianças e adolescentes. Os dados foram passados para estudantes do curso de Direito da Unesc, que debateram o assunto com a desembargadora do Trabalho Lourdes Leiria, durante o Colóquio de Direitos Humanos e Sociedade, realizado em Criciúma.

Ônibus escolar

A 2ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS) manteve a despedida por justa causa aplicada pelo Município de Butiá a um motorista de ônibus escolar que dirigia de forma imprudente e ultrapassava limites de velocidade. A decisão confirma sentença da juíza Lila Paula Flores França, da Vara do Trabalho de São Jerônimo. O processo já transitou em julgado, ou seja, não cabem mais recursos.

Tribunal de Apelações

A juíza Martha Halfeld Furtado de Mendonça Schmidt, titular da 3a Vara do Trabalho de Juiz de Fora (MG), tomou posse no cargo de juíza do Tribunal de Apelações do United Nations Appeals Tribunal (UNAT), em Nova York, Estados Unidos. A cerimônia reservada ocorreu na sala de conferências do Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-Moon.

Fiança para empresária

O Juízo da 2ª Vara Criminal da Comarca de Rio Branco (AC) proferiu revogou a prisão preventiva da empresária R.M.M de L mediante o pagamento de fiança no valor de R$ 100 mil, além da imposição de outras medidas cautelares, como proibição de acesso à Secretaria Estadual de Habitação (Sehab) ou a qualquer outro órgão público ou privado que tratem de estudos sociais de inscritos no Programa Minha Casa Minha Vida.

Apart-hotel na justiça

Moradora de um apart-hotel de Florianópolis (SC), apontada de forma equivocada como inadimplente e por conta disso impedida de utilizar os serviços de lavanderia do empreendimento, será indenizada pelos administradores do estabelecimento por danos morais. A decisão foi confirmada pela 5ª Câmara de Direito Público do TJ, em apelação sob a relatoria do desembargador Jairo Fernandes Gonçalves, com a fixação da condenação em R$ 5 mil.