Jornalista no eixo Brasília-Rio de Janeiro.

Índios não existem para a sociedade

O texto é de autoria da repórter Bruna Souza Cruz do UOL em São Paulo: Acampados à beira de estradas ou em fundos de fazendas, sem a certeza de que terão acesso às suas terras de origem, indígenas do Mato Grosso do Sul sentem-se desassistidos pelos governos estadual e federal. Muitos deles nem existem perante a sociedade, já que não possuem registro civil. O alerta é do advogado Luiz Henrique Eloy Terena (povo do qual faz parte), assessor jurídico da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil e nome importante na defesa dos direitos indigenistas.

Advogados oportunistas

A Chapecoense divulgou na internet uma nota de repúdio alertando que advogados afirmam ser representantes do clube para conseguir serviços com os parentes das vítimas da tragédia na Colômbia. O clube classifica esses profissionais como oportunistas e que usam o nome do time para obter vantagens ilícitas. Medidas judiciais serão tomadas contra esses advogados. Segundo…

Condenados em Paris

Quatro torcedores britânicos do time de futebol do Chelsea foram condenados a até um ano de prisão por “ato racista” ao terem impedido a entrada de um homem negro em um trem do metrô de Paris, capital da França, em fevereiro de 2015. O episódio ocorreu antes de uma partida dos “blues” contra o Paris Saint-Germain pela Liga dos Campeões da Europa e foi filmado por um celular. Na gravação, os torcedores aparecem gritando “nós somos racistas e é assim que gostamos de ser”.

Tudo dominado

O Ministério Público de Roraima (MPRR) informou que desde 2005 busca na Justiça uma solução para problemas estruturais existentes no sistema prisional do estado e que, em novembro de 2014, denunciou aproximadamente 100 integrantes de facções criminosas que atuam em Roraima. “A situação à época foi veementemente negada à imprensa pelo Poder Executivo estadual. O…

Intervenção federal

A Procuradoria-Geral da República (PGR) vai apurar o quadro do sistema penitenciário do Amazonas, Rio Grande do Sul, de Pernambuco e Rondônia. A entidade poderá, inclusive, propor ao Supremo Tribunal Federal (STF) a intervenção federal na gestão carcerária desses estados. Os governadores dos quatro estados, além do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, serão oficiados e deverão prestar informações à PGR.

Colchão milionário

Procuradores federais dos Estados Unidos apreenderam US$ 20 milhões dentro de um colchão que seria do brasileiro Cléber Rene Rizério Rocha, de 28 anos. Ele foi preso no mesmo apartamento, em Massachusetts, onde o montante foi descoberto. Cléber Rocha é acusado de lavagem de dinheiro em um esquema de fraudes que envolve a TelexFree, empresa de telefonia por internet acusada de promover pirâmides financeiras.

Menos deputados

Está em análise no Senado, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 38/2016 que reduz o número de deputados federais para 405. Pelo projeto, o número mínimo de deputados federais passará de 8 para 4, nos estados com menor população, e o número máximo de 70 para 50, nos estados mais populosos.

Novos presídios federais

O presidente Michel Temer anunciou a construção de cinco presídios federais para criminosos de alta periculosidade. O governo deve liberar cerca de R$ 40 milhões a R$ 45 milhões para cada presídio. Atualmente, o Brasil tem quatro presídios federais: Catanduvas-PR, Porto Velho-RO, Mossoró-RN e Campo Grande-MS.

Amazônia escancarada

O chefe do Comando Militar da Amazônia (CMA), general de Exército Theophilo Gaspar de Oliveira apresentou hoje(06) para a imprensa o painel “Guerra na Fronteira”. Sem poupar palavras nem minimizar impactos, o general Theophilo Gaspar mostrou que a Amazônia está aberta para crimes como exploração e contrabando de minerais, entrada de armamento pela fronteira com a Venezuela que, segundo ele, “está inundada por fuzis Kalashinikov”, a imigração ilegal tanto vinda do Haiti como, recentemente, do Senegal (de janeiro a maio deste ano, 30 mil estrangeiros entraram no país de forma não autorizada).

Chacina pode se repetir no Ceará

Em meio a mais uma situação de turbulência nos presídios de Fortaleza, o governador Camilo Santana (PT) decidiu exonerar o secretário de Justiça e da Cidadania, advogado Hélio Leitão, ex-presidente da OAB do Ceará. Ele será substituído pela atual chefe da Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos da Segurança Pública e do Sistema Penitenciário (CGD), procuradora de Justiça Socorro França.