Jornalista no eixo Brasília-Rio de Janeiro.

Lista tríplice do TSE

O Supremo Tribunal Federal (STF) definiu a lista tríplice que será enviada ao presidente da República, Jair Bolsonaro, para a escolha de uma vaga de ministro titular do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), órgão do Judiciário responsável pela organização das eleições.

Badaró na Ouvidoria da OAB

O advogado brasiliense Rodrigo Badaró Castro foi nomeado Ouvidor Geral Adjunto do Conselho Federal da OAB. Badaró teve o apoio irrestrito do presidente da Seccional da OAB no Distrito Federal, Delio Lins e Silva Junior; do conselheiro federal pelo Espírito Santo, Luiz Cláudio Allemand; do conselheiro federal pelo Amapá, Felipe Sarmento e do advogado amazonense Beto Simonetti. O ato foi assinado por Felipe Santa Cruz.

MP Militar

A 1ª Procuradoria de Justiça Militar ofereceu denúncia à 1ª Auditoria da 1ª Circunscrição Judiciária Militar contra doze militares por terem, no dia 7 de abril de 2019, causado a morte de Evaldo Rosa dos Santos e Luciano Macedo e atentado contra a vida de Sergio Gonçalves de Araújo, expondo a perigo a população local, bem como por terem deixado de prestar socorro às vítimas.

Advogado cobra de Neymar

O advogado José Silvério Neto recorreu à Justiça para tentar cobrar que Neymar pague R$ 188 milhões aos cofres públicos. O valor é o mesmo cobrado inicialmente pela Receita Federal – em recurso administrativo, os advogados das empresas que gerem a carreira do atacante conseguiram reduzir substancialmente o valor. Atualmente, a Receita tenta cobrar R$…

Juiz afastado

Os Desembargadores que integram a 4ª Câmara Criminal mantiveram a condenação do ex-Juiz de Direito Diego Magoga Conde a 12 anos e oito meses de reclusão em regime inicial fechado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro (ambos duas vezes).

Justiça x Política

O juiz federal aposentado Pedro Paulo Castelo Branco Coelho, um dos nomes mais conhecidos do Judiciário Acreano, atualmente reside em Brasília onde exerce a advocacia. De passagem pelo Acre, onde vem de 3 a 4 vezes por ano para acompanhar processos, ao conceder entrevista ao ContilNet, lembrou de sua atuação local e analisou que não se deve misturar Justiça com política.